Ensino de Sociologia

Licenciatura em Ciências Sociais e Sociologia no Ensino Médio
Subscribe

Estágio III – 2012

Disciplina Estágio Supervisionado III – 2012/13

 

Professores responsáveis: Henrique Zoqui Martins Parra & Artionka Capiberibe

 

Objetivo Geral:

  • Investigar, experienciar e desenvolver práticas de ensino na intersecção de processos educacionais formais e informais, escolares e extra-escolares. A disciplina buscará ainda refletir sobre os modos de realização do processo ensino-aprendizado presentes na diversidade sociocultural que compõem o país.

Objetivos Especificos:

  • Investigar e experienciar metodologias educacionais baseadas em procedimentos de pesquisa-ação em contextos escolares e extra-escolares, voltados à produção de conhecimentos situados/locais e curriculares.

  • Incorporar na experiência do estágio novas reflexões e metodologias relativas ao conhecimento produzido na Antropologia voltada à educação, com atenção especial à educação indígena.

 

Ementa:

Reflexões e desenvolvimento de ações educativas em escolas e em novos espaços de atuação profissional do cientista social no universo da educação (museus, ONGs, cursinhos populares, movimentos sociais, entre outros). O professores responsáveis pela disciplina irão selecionar eixos temáticos a serem trabalhos na dimensão teórica e prática mediante o desenvolvimento de Projetos de Estágio que compreendem os seguintes momentos: (1) Formação; (2) Pesquisa e diagnóstico; (3) Co-elaboração e discussão coletiva dos projetos; (4) desenvolvimento da proposta; (5) Avaliação; (6) Sistematização e compartilhamento dos conhecimentos produzidos.

Carga horária:

  • Total: 135hs

  • 50hs em campo registrado na ficha de Estágio (escolas + visitas às ONGs);
  • 85hs (distribuídas entre formação/orientação/seminário/preparação projeto)

Metodologia:

Discussão de referencial teórico: análises de casos concretos, co-elaboração de projetos; orientação/supervisão; ações no campo de estágio, produção de material didático e paradidático; uso de tecnologias de comunicação.

 

Recursos Disponíveis:

  • Site de apoio à disciplina: Ensino de Sociologia http://ensinosociologia.pimentalab.net
  • Modelos para Pesquisa de campo, projeto de interveção e relatório do estágio: https://ensinosociologia.milharal.org/restrito/modelos-e-roteiros/
  • Coleção de links sobre ensino de sociologia, educação, licenciatura, metodologias, linguagens, recursos educacionais: http://www.delicious.com/ensinosociologia

Campo do Estágio:

  • Mínimo de 50hs registradas na Ficha de Estágio.
  • A definição do local de estágio depende de negociação e aprovação prévia dos professores responsáveis pela disciplina.
  • Prioritamente Escolas Pública do Ensino Médio
  • Organizações governamentais; Organizações não-governamentais; Sindicatos e Movimentos Sociais em atividades exclusivamente relacionadas à prática educacional.

 

Avaliação:

  • Projeto de Intervenção a ser realizado no campo de Estágio.
  • Relatório de Estágio.
  • Programa de Ensino de Sociologia para o Ensino Médio (para 1 bimestre).

 

PROGRAMA

 

 

Aula 1: 30 de janeiro – Apresentação e Organização da Disciplina

Diagnóstico inicial e acordos coletivos.

 

Aula 2: 6 de fevereiro – Educação e Antropologia

Bibliografia:

  • GUSMÃO, Neusa Maria Mendes. Antropologia, Estudos Culturais e Educação: desafios da modernidade. Pro-Posições, v. 19, n. 3 (57) – set./dez. 2008.
  • SILVA, Aracy L. da e FERREIRA, Mariana K. L. Introdução e Uma “Antropologia da Educação” no Brasil? Reflexões a partir da escolarização indígena. In: ______. (orgs.) Antropologia, história e Educação: a questão indígena e a escola. São Paulo, Global, 2001, p. 9-18 e 29-43.

 

13/2 – Carnaval – Quarta-feira de Cinzas

 

Aula 3: 20 de fevereiroSociologia, Vida Cotidiana e o Ensino Médio

Bibliografia:

  • MARTINS, J.S.. O Senso Comum e a Vida Cotidiana. Tempo Social, v.10, n.1.Departamento de Sociologia – FFLCH-USP, São Paulo, maio de 1998, pp.1-8.
  • IANNI, Octávio. O Ensino das Ciências Sociais no 1º e 2º Graus. CENP/SP, 1985.

Complementar:

  • SCHUTZ, Alfred. Senso-Comum e a Interpretação Científica da Ação Humana (trad. Christina W. Andrews). Publicado originalmente: Common-sense and scientific interpretation of human action. Philosophy and Phenomenological Research, v.XIV, n.1, p.1-30, 1953.

 

Aula 4: 27 de fevereiro – Supervisão individual

 

Aula 5: 6 de marçoEducação e Etnografia

Bibliografia:

  • PEIRANO, Mariza A Favor da Etnografia. Série Antropologia, no. 130, Brasília, 1992
  • FONSECA, Cláudia. Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, no. 10, 1999.
Complementar
  • FERNANDES, Maria Lidia Bueno. Introdução; Capítulo 1, item 1.1, 1.2 e 1.3; Capítulo 3: O Estudo do Meio no Estado do Amapá. In:______. A Prática Educativa e o Estudo do Meio: o conceito de sustentabilidade em questão. São Paulo, Annablume, 2012, p. 29-38, 54-73 e 91-136.

 

Aula 6: 13 de março – Etnometodologia e Práticas de pesquisa-ação

Bibliografia:

  • COULON,Alain. Cap.IV. Os trabalhos de inspiração etnometodológica em educação. IN. Etnometodologia e Educação.Petrópolis,Ed.Vozes, 1995, pp.103-146.

Complementar:

  • FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, n.3, p.483-502, set/dez. 2005.
  • COULON, Alain. La Etnometodologia. Madri: Catedra, 2005.

 

 

Aula 7: 20 de março – Supervisão

 

Aula 8: 27 de março – Apresentação Coletiva dos Projetos de Intervenção

 

Aula 9: 3 de abril Educação Indígena e Educação Formal: questões e dilemas da educação intercultural

Bibliografia:

  • GALLOIS, Dominique. Programa de Educação Waiãpi: reivindicações indígenas versus modelos de escolas. In SILVA, Aracy L. da e FERREIRA, Mariana K. L. (orgs.) Práticas Pedagógicas na Escola Indígena. São Paulo, Global, 2001, p. 25-46.

 

Aula 10: 10 de abril – Educação Formal, não-formal e cultura

Bibliografia:

  • Plano Articulado para Cultura e Educação. Casa da Arte de Educar. MEC & MINC, Brasil, 2012. Disponível em: http://www.cultura.gov.br/site/2012/09/04/um-plano-articulado-para-cultura-e-educacao/um-plano-articulado-entre-educacao-e-cultura_20052012/
  • ARANTES, V. A.(org.), GHANEM, E. e TRILLA, J., Educação formal e não- formal: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2008.

 

Aula 11: 17 de abril – Supervisão

 

Aula 12: 24 de abril – Apresentação dos trabalhos e Entrega dos relatórios.

 

Feriado 1 de maio: Dia Internacional dos Trabalhadores

 

Aula 13: 8 de maio – Avaliação Coletiva

 

Pasta Verde – prazos

Digitação das notas 06/05/2013 a 13/05/2013

Exame: 14/05/2013 a 20/05/2013

 

 

Referências Complementares:

 

HERNANDEZ, Fernando. A organização do currículo por projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

PASSOS, E. & KASTRUP, V. & ESCÓSSIA, L.. Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O Mestre Ignorante. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SILVA, Aracy L. da e FERREIRA, Mariana K. L. (orgs.) Antropologia, história e Educação: a questão indígena e a escola. São Paulo, Global, 2001.

SILVA, Aracy L. da e FERREIRA, Mariana K. L. (orgs.) Práticas Pedagógicas na Escola Indígena. São Paulo, Global, 2001.

BURBULES, Nicholas C. Uma gramática da diferença: algumas formas de repensar a diferença e a diversidade como tópicos educacionais. In. Garcia, R.& Moreira, Antonio (org.). em>/Currículo na Contemporaneidade: incertezas e desafios/. São Paulo: Cortez, 2003.

CANDAU, Vera M. (Org.). Sociedade, educação e cultura(s): questões e propostas. Petrópolis: Vozes, 2002.

CPI/AC Atlas Geográfico Indígena do Acre. Rio Branco-AC, Comissão Pró-Índio/AC, 1996.

GRUBER, Jussara G. (org.) O Livro das Árvores. Benjamim Constant, Organização Geral dos Professores Ticuna Bilíngues, 1997.

MEC Referencial Curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília, MEC/SEF, 1998.

SILVA, Aracy L. da e GRUPIONI, Luís Donisete B. (orgs.) A Temática Indígena na Escola: Novos Subsídios Para Professores de Segundo Grau. Brasília, MEC/MARI/UNESCO, 1995.

TRONCARELLI, Maria Cristina (org.) Mureti enpato panpira Serë = Livro de alfabetização na língua Tiriyó: Programa de formação de professores-pesquisadores Tiriyó e Kaxuyana. Rio de Janeiro, Museu do Índio:IEPÉ, 2010.

VIEIRA, Ricardo. Da multiculturalidade à educação intercultural: a antropologia da educação na formação dos professores. Educação, sociedades e culturas — Revista da Associação de Sociologia e Antropologia da Educação, Porto, n.12, p. 123-162, 1995.

 

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.